domingo, 14 de janeiro de 2018

A Doçura da Noite - excerto

(...)Agora era apenas ela e o rio, mas amanhã Lisboa inteira iria saber quem era a acompanhante de luxo que estava naquela maldita festa. Não esperava outra coisa de Abigail e Edmilson, claro que eles iriam desaparecer. Já o tinham feito, segundo Carlos. Por mais que a polícia descobrisse onde estava o computador em que eles operavam como escritório online, decerto o tinham deixado para trás, e já devia estar no fundo do mar há um par de dias, ou enterrado nalgum pinhal longe de Lisboa.

Sara caminhou ao longo do paredão de pedra que segura as margens do rio e encheu os pulmões com o ar salgado e fresco da brisa vinda do mar ao longe, quase a trinta quilómetros de distância quando o Tejo mergulhava finalmente no oceano(...)  

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

A Mulher do Plantador de Chá - Opinião

"Um homem atormentado pelo passado?

Uma mulher perante a escolha mais terrível da sua vida.

Aos 19 anos, Gwendolyn Hooper abandona a Escócia para se encontrar com o seu marido, Laurence, em Ceilão, do outro lado do mundo. Recém-casados e apaixonados, eles são a definição do casal aristocrático perfeito: a bela dama britânica e o proprietário de uma das fazendas de chá mais prósperas do império.

Mas, ao chegar à mansão na paradisíaca propriedade Hooper, nada é como Gwen imaginara: os funcionários parecem rancorosos e calados, os vizinhos, traiçoeiros, e o seu marido, apesar de afetuoso, demonstra guardar segredos sombrios. Com Laurence ausente em trabalho, Gwen explora sozinha a plantação. Ao vaguear por locais proibidos, encontra várias portas fechadas e até um pequeno túmulo - pistas de um passado escondido.


Quando descobre estar grávida, a jovem sente-se feliz pela primeira vez desde que chegou a Ceilão. Mas, no dia de dar à luz, algo inesperado se revela. Agora, é ela quem se vê obrigada a manter em sigilo algo terrível, sob o preço de ver a sua família desfeita. Quando chegar o dia de revelar a verdade, será que ela vai ter o perdão daqueles que ama?"

Dinah Jefferies nasceu na Malásia e mudou-se para Inglaterra com nove anos. Estudou na Birmingham School of Art e, mais tarde, na Ulster University, onde se formou em Literatura Inglesa. Autora bestseller do Sunday Times, colabora com alguns jornais, entre eles o Guardian.

Depois de ter vivido em Itália e em Espanha, regressou a Inglaterra, onde vive com o seu marido e o seu cão, e passa os dias a escrever e a desfrutar dos tempos livres com os netos.

A Mulher do Plantador de Chá, que a Topseller agora publica, foi bestseller do Sunday Times e selecionado para o Richard and Judy Book Club.

Saiba mais sobre a autora em: www.dinahjefferies.com

OPINIÃO
Este livro esteve na pilha por ler durante algum tempo e, sempre que o olhava, tinha a sensação que ali estava uma pérola preciosa que eu ia adorar. Não me enganei!
A autora agarra o leitor logo nas primeiras páginas com uma narrativa simples e bem construída, dizendo o necessário e deixando outro tanto à imaginação do leitor. 
É um romance passado no século XX, no Ceilão - actual Sri Lanka - e passa-se no mundo das plantações de chá. Além de uma história de amor e perdas, é uma boa lição de história para quem desconhece como era no tempo da colónia inglesa. Aborda um assunto melindroso para a época - a mestiçagem - e fá-lo de uma forma magistral, levando o leitor no suspende até ao final, quanto ao destino da principal personagem feminina. 
Este foi um dos livros que me deu ressaca literária. Queria que continuasse e...continuasse...
Avaliei em 5 ***** na GoodReads.  

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Feliz ano de 2018


Desejo a todos os meus leitores e leitoras, um Feliz Ano Novo, pois é com vocês que cheguei até aqui. Esta jornada que comecei em finais de 2012, tem um saldo muito positivo na minha vida e quero deixar aqui esse testemunho.
Passei os últimos dias atarefada a terminar o próximo livro A DOÇURA DA NOITE. Acabei hoje a primeira revisão e está prontinho para a leitora Beta ler e dar a sua opinião. Confesso que estava com algumas duvidas em relação ao livro, mas agora depois de voltar a ler, gostei. Não sei ainda se irei fazer mais modificações, mas tudo depende da Beta e do revisor mais tarde.
Aguardem que está quase, quase a chegar.
E lembrem-se, nunca está só quem tem um livro como companhia. FELIZ ANO NOVO.

domingo, 17 de dezembro de 2017

Novo lançamento - A DOÇURA DA NOITE


Hoje, fica aqui revelada a capa do meu próximo livro. É um romance contemporâneo que aborda os vicios que a noite esconde. A data prevista para o lançamento na AMAZON, é Janeiro de 2018, sem dia ainda definido. Fiquem alerta. 

Sinopse de A DOÇURA DA NOITE

Na noite de uma festa de homens, regada a álcool, drogas e acompanhantes de luxo, uma mulher morre misteriosamente. Sara, uma das mulheres presentes nesse fatídico evento, estava longe de saber que o anfitrião – Carlos Borges – já a conhecia e, começa a suspeitar que a atenção dele se deve a propósitos pouco transparentes. Depois desse trágico acontecimento, onde ela parece ser a única testemunha, já que todas as outras mulheres desaparecem misteriosamente, a sua vida fica virada do avesso.
A noite, que ela adorava, torna-se de repente, uma coisa a evitar. A noite e o misterioso médico-cirurgião, que parece estar em todo o lado que ela esteja. Carlos, não é o que parece, e Sara, por mais que se sinta atraída por ele, tem que fugir obrigatoriamente, como se isso fosse possível…



quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Novidade! O Regresso da Primavera - Sveva Casati Modignani


SINOPSE
Passamos muito tempo a perseguir sonhos que nos escapam da mão, uma felicidade que não se deixa aprisionar. E depois acontece que o melhor da vida se revela num instante, talvez na magia de um encontro inesperado. Como aquele que aconteceu entre Lorenzo e Fiamma, surpreendidos por um amor que nem mesmo eles, provavelmente, acreditavam ser ainda possível.

Lorenzo Perego, um homem fascinante e culto, é professor de Geografia Económica numa escola profissional de Milão. Poderia ter escolhido um estabelecimento de maior prestígio, mas o ensino é a sua paixão e ajudar jovens com talento numa realidade difícil e muitas vezes desoladora é um desafio que o entusiasma e enriquece.

Fiamma Morino, com pouco mais de 40 anos, é diretora editorial de uma pequena editora de sucesso que ela própria fundou. Agora que a editora está prestes a sofrer uma drástica mudança de gestão, com que Fiamma não concorda, está disposta a tudo para a defender e continuar a garantir o cuidado e o amor que desde sempre dedica aos seus autores.

Através das vivências de Fiamma e Lorenzo, conhecemos a Itália de hoje, a da crise da Escola e da Economia, mas também aquela que é feita de pessoas empreendedoras, prontas a arregaçar as mangas e decididas a não se renderem.

A AUTORA


Sveva Casati Modignani é um pseudónimo utilizado principalmente por Bice Cairati (Milão, 13 de julho, 1938) e também era por seu marido falecido Nullo Cantaroni (Milão, 27 de agosto de 1928 - Milão, 29 de Dezembro de 2004), ela é, e ele era, escritores italianos, onde fizeram do pseudónimo um dos nomes mais populares da atual ficção de seu país.

Sob o pseudónimo, publicaram dezoito romances, que venderam mais de dez milhões de exemplares, foram traduzidos para catorze línguas e deram origem a vários filmes e séries televisivas de sucesso. Suas obras são baseadas principalmente em enredos focados em mulheres.

Bice Cairati declara:


Cada livro meu é um confronto com o mundo feminino, o que sucede à minha volta, o que acontece à volta das mulheres. Me agrada imaginar que para os homens as mulheres são muito difíceis de interpretar. Gosto de pensar que há leitores curiosos que se deixam fascinar por estes mistérios do universo feminino.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Novidade - Antes que seja tarde ( Margarida Rebelo Pinto)



SINOPSE
Neste novo livro de Margarida Rebelo Pinto encontramos três mulheres de gerações diferentes, desde os anos 60 até aos dias de hoje, com vidas sentimentais atribuladas e algo em comum: a atração pelo proibido.

Antes que seja tarde é um romance sobre o lado mais selvagem do amor, quando a paixão manda mais do que a razão e os sentidos falam mais alto. Os amores proibidos nunca caem na rotina, mas serão o caminho certo para o verdadeiro amor? O que fazer quando não se pode construir uma vida com quem se ama?


O destino cruzado destas 3 mulheres leva-nos a uma viagem alucinante sobre o lado obscuro das relações, onde a mentira, a traição e o adultério andam a par com a dignidade de uma grande história de amor.

MARGARIDA REBELO PINTO fala sobre o livro "ANTES QUE SEJA TARDE", entrevistada por Herman José

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Como começar o seu livro?



Você tem um romance escrito, mas está na fase de reescrever e está indeciso como começar a sua narrativa. Pois bem, saiba que não é único escritor, ou escritora que tem dúvidas desse género. O início, como todos escritores dizem, é certamente a parte mais difícil. Sabemos como os leitores decidem num curto instante se o livro merece a sua atenção ou não. Na verdade, muitas pessoas nem abrem o livro. Eles decidem apenas com base na capa.
Surpreso! Acredito que uma capa apelativa vende um livro. Ainda hoje comprei um de um autor que não conheço ( Flávio Capuleto, INFERNO EM LISBOA), com base na capa. Faço isso muitas vezes. Leio muito e tento ler autores diferentes para aprender novas formas de escrita, embora ache que já tenho a minha forma mais ou menos definida. Quando eu passei a usar o meu nome nas capas, ao invés do pseudónimo, uma leitora identificou o estilo antes de perceber que eramos a mesma pessoa. Mas não é de mim que quero falar. É do seu livro. No caso de seu livro ser comprado por um leitor, uma batalha totalmente diferente começa para si. As suas palavras, as primeiras, são as que devem agarrar o leitor ao livro. Quando um livro começa a descrever cenas ou pensamentos enfadonhos, isso é um mau prognóstico. Fica com uma boa percentagem de hipóteses de ele ser abandonado na prateleira. Acredita que nas livrarias os leitores lêem umas duas a três páginas depois de apreciarem visualmente a capa? Pois na amazon é igual. A amazon disponibiliza uma amostra do livro para o leitor decidir se compra ou não. Então pense bem como deve começar o seu livro.

Como deve fazer?

O momento característico é uma cena chave na história que prenda o leitor ao livro, que o faça querer saber mais. Não é uma posição aleatória. Esta cena cumpre diversas funções que correspondem exatamente ao que um leitor espera ver quando começa a ler o seu romance.


Quais são os ERROS mais COMUNS de um começo de livro?

Um personagem que acorda e reflecte sobre a vida, ou pensa no seu amor?
Um prólogo. A maioria dos livros passa bem sem prólogo. Isso só atrasa e baralha a leitura.
A personagem a nascer. Isso então é o cúmulo!
Mas não devo começar com esse tipo de cenas? Não totalmente se a sua história o justificar, caso contrário esqueça isso.

 Se sua história começa com o seu personagem a acordar, e depois descobre que não há ninguém em sua casa, ninguém nas ruas? Parece que não havia ninguém no mundo inteiro! Claro, essa cena seria muito importante. Ele porque faz parte da história. Sem essa cena, a história não pode continuar.

Mas se o personagem se levantar, tomar o pequeno-almoço, cumprimentar a família, vá para a escola e é aí que a magia acontece, então não inclua esse trecho no livro. Especialmente se você está planeando incluir o inevitável " o personagem vai ver-se ao espelho para descrever a sua aparência". Não faça isso!

Quanto ao prólogo, por definição, é algo que existe antes da própria história. Muitas vezes pensamos - e eu também já fiz isso – que os nossos leitores não poderão entender o que está para vir na história, se não lhes oferecermos uma pequena introdução primeiro.

Mas eu desafio-o a tentar. Tente não usar nenhum prólogo, comece directamente com a história e seja criativo com a forma como você agarra o leitor ao seu livro.

Mãos à obra, ou como dizia o Pedro Chagas Feitas, FORÇA NESSES DEDOS.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Lesley Pearse - Novidade


SINOPSE
Na primavera de 1935, em Londres, duas jovens observam enquanto a polícia retira o cadáver de um homem de um lago. Elas vêm de mundos completamente diferentes. Ruby é filha de uma prostituta alcoólica e só conhece a pobreza e o abandono. Verity, de boas famílias, vive com todo o conforto que o privilégio garante. Mas, nesse dia, começa entre ambas uma amizade que perdurará ao longo do tempo.

O destino, porém, não tardará a mostrar quão traiçoeiro pode ser: ao passo que Ruby encontra, por fim, um lar onde é amada e acarinhada, Verity sofre revés atrás de revés, e um terrível segredo do passado ameaça destruí-la. A Grã-Bretanha prepara-se para a guerra, a conjuntura é turbulenta. Apesar disso, ambas continuam presentes na vida uma da outra… até ao dia em que uma delas profere as palavras: "Morreste para mim".
Num país dilacerado pela guerra, poderá a amizade sobreviver?

Duas Mulheres, Dois Destinos é um romance épico que nos fala de lealdade, amor, e da força dos laços de amizade perante as mais duras adversidades. Como sempre, Lesley Pearse não desilude…


DETALHES DO PRODUTO
Duas Mulheres, Dois Destinos
de Lesley Pearse
ISBN: 9789892340678
Edição ou reimpressão: 11-2017
Editor: Edições Asa
Idioma: Português
Dimensões: 159 x 236 x 31 mm
 Encadernação: Capa mole Páginas: 464
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Romance

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Deus Não Mora em Havana - Opinião

Yasmina Khadra, cujo verdadeiro nome é Mohammed Moulessehout, nasceu no Saara argelino em 1955. 


Só o facto de o autor ter escolhido um pseudónimo feminino já despertou a minha atenção e quando descobri o motivo ainda achei mais interessante. 
Tenho os meus autores preferidos, mas vou sempre lendo novos e, como este titulo me pareceu interessante, comprei o livro. Esteve na minha prateleira durante algum tempo, mas quando o comecei a ler, não parei. É um livro pequeno, lê-se rápido, mas fiquei muito surpreendida com o conteúdo. Não sei se o autor conhece Cuba e Havana - mas parece conhecer -, mas, como eu conheço, consegui, através da leitura, imaginar-me lá. Os sons, o cheiro, a descrição das gentes e da cultura, a interpretação do regime comunista, tudo está escrito de uma forma simples, mas tão cativante que me tocou profundamente. É um romance, ao nivel da escrita de Gabriel Garcia Márquez, que nos prende do inicio ao fim do livro. Mohammed é um escritor talentoso e decerto lerei outros livros seus. Para já recomendo vivamente esta leitura. 


Sinopse

No momento em que o regime castrista perde o alento, «Don Fuego» continua a cantar nos cabarés de Havana. Outrora, a sua voz electrizava as multidões. Agora, os tempos mudaram e o rei da rumba tem de ceder o seu lugar. Entregue a si próprio, conhece Mayensi, uma jovem «ruiva e radiosa como uma chama», pela qual se apaixona perdidamente. Mas o mistério que cerca essa beldade fascinante ameaça o seu improvável idílio.

Cântico dedicado aos fabulosos destinos contrariados pela sorte, Deus não Mora em Havana é também uma viagem ao país de todos os paradoxos e de todos os sonhos.

Aliando a mestria e o fôlego de um Steinbeck contemporâneo, Yasmina Khadra conduz uma reflexão nostálgica sobre a juventude perdida, incessantemente contrabalançada pelo júbilo de cantar, de dançar e de acreditar em amanhãs felizes.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Entrevista com a escritora Michelle Louise Paranhos



Há uns tempos tive oportunidade de ler um livro desta autora Brasileira e fiquei fã da sua escrita, bem como da pessoa que ela é. Estamos separadas pelo oceano, mas temos em comum a língua e a comunhão de alguns pensamentos que vamos trocando pelo messenger. 

"Ponto de Ressonância" foi o primeiro livro que li escrito pela Michelle e tenho em lista de espera "Tsara, ir até ao fim e depois voltar". Recentemente lançou outro titulo na amazon que já está a fazer sucesso "Blog 3k -Trolados pela vida adulta". 
Para divulgar o seu trabalho - que vale a pena conhecer - pedi-lhe esta entrevista que ela gentilmente cedeu. 

Vamos conhecê-la. 


Quem é a Michelle Louise Paranhos? Fale-nos um pouco sobre você.
R: É bem interessante imaginar que já respondi a essa pergunta algumas vezes em diferentes contextos e a cada vez eu percebi que dei respostas diferentes. Falar de mim é uma icógnita. A pouco tempo eu teria uma resposta pronta,hoje considero uma das perguntas mais dificeis a responder. Talvez isso fale mais sobre mim do que a resposta propriamente dita.
No geral posso dizer que sou professora aposentada de ensino fundamental especializada em trabalhar com alunos com necessidades educacionais especiais. Estou casada há 24 anos, tenho três filhos adolescentes sendo que a caçula foi a minha fonte de inspiração para meu livro Coisas de Lorena , que é um livro sobre histórias vividas por ela e ilustrado também por ela . Elaé especial.
Sou blogueira também e ajudo a leitores na divulgação da literatura em meu país. É pouco , eu sei, mas faço o que posso para contribuir.

Quando percebeu que um dia ia ser escritora?
R: Não percebi,na verdade. Sou da época que só CDFs tinham vontade de ler e escrever. E isso não era visto com bons olhos e era motivo daquilo que hoje é chamado bullying. O termo ainda não existia naquela época,e a literatura não tinha esse glamour nem tão pouco estava banalizada como é hoje.
 Ninguém virou para mim naquele tempo e disse: olha, você pode ser escritora!
A escrita sempre foi – e continua sendo, infelizmente- uma segunda opção de carreira, quando muito,apenas  sendo vista como hobby muitas vezes. Ninguém acha que ser escritor é uma carreira profissional . Mas isso é assunto para outro questionamento. A verdade é que comecei a escrever apenas na maturidade, após me aposentar da educação, e por influência de meu marido. Não que me faltasse desejo. Faltava era acreditar em mim mesma, meu desejo é me profissionalizar como escritora,mas o mercado está muito confuso e me decepciono um pouco pela banalização da escrita atual.

De onde surgem os personagens? De alguma forma se relacionam com alguém que você conhece?
R: Os personagens surgem da vida, de conversas entrecortadas, interrompidas. Acho que muitos personagens talvez existam na vida real, talvez com outros nomes...
A melhor critica que recebi foi de uma leitora que disse que se encontrrasse minha personagem na rua “seus santos não bateriam “(risos) e mais adiante ela confessa de que o que a incomoda na personagem é o fato de serem parecidas nos defeitos . Achei isso o máximo. Causei uma grande identificação nesse leitora e hoje ela é minha fã mas especialmente minha amiga.

Qual o seu livro e autor favorito? Guia-se por ele na escrita dos seus livros?
Não tenho um livro favorito. Nenhum. Todos , em  algum momento, foram importantes para mim. E como não tenho livro favorito posso dizer que absoultamente todos me influenciaram.  Mas, ao ter que definir apenas um autor eu opto por Érico Veríssimo para meus romances dramáticos e por Luis Fernando Veríssimo para meus romance com um toque de humor irônico. Este  último e o autor Millôr Fernandes, aliás, foram minha fonte de inspiração literária para meu livro mais recente- Blog 3k- Trollados pela vida adulta.

Qual é a sensação de ir a uma loja e encontrar um livro seu à venda?
R: Ainda não tive essa sensação e não sei se a terei. Por conta dos custos de ter que imprimir novas tiragens de livros físicos, acabei optando por Amazon e só tenho até agora versão ebook de meus últimos livros. É cruel dizer mas não tenho dinheiro para comprar meus próprios livros. A literatura para mim ainda não é retroalimentadora e com oque recebo de uma publicação ainda não custeio a seguinte. Assim não tenho lucros e fico presa a meu próprio orçamento doméstico e a crise em meu país está muito forte e por tempo demais.

Já alguma vez se cruzou com alguém a ver um livro seu?
R: Já! Mas em rede social. Gente que nunca pensei que estaria lendo meu livro e estava ! Foi muito bom. Mas como o livro ainda não chegou às livrarias físicas o grande público ainda não o lê nas ruas.
Por outro lado,encontrar alguém lendo na rua, mesmo livros digitais é algo raro. As pessoas leem como hobby, e isso tem que rivalizar com o tempo dedicado às series de TV e outros passatempos. Livro não é prioridade e perdeu seu aspecto de formador de opinião.

Atualmente, cada vez é mais difícil publicar um livro, principalmente devido a motivos
Financeiros. Qual foi a vossa maior dificuldade que encontrou para publicar?
R: Dinheiro. Custo de vida alto aqui no Brasil, fechamento de grandes redes de livraria que cobram muito para expor o livro e , principalmente, falta de recursos para tiragens físicas.

Enquanto está a escrever, partilha a sua história com alguém para pedir conselhos? Ou numa plataforma como a Wattpad?
R: Esse assunto é complexo, a resposta é não e vou explicar o motivo. Eu tenho por hábito pedir para meu marido ouvir os capítulos e ele dá algumas ideias,mas a palavra final é sempre minha. Raramente eu me deixo influenciar. Minha criação é domínio meu. Atuo como leitora beta, mas não gosto de leitura beta durante a construção e quando muito peço leitura critica especializada após a conclusão. Em meu primeiro livro, por eu não ser psicóloga e abordar assunto de personalidade, recorri à uma leitora critica especializada (psicóloga) para ler a trama.

Quanto tempo demora a escrever um livro?
R: Varia muito. Coisas de Lorena eu demorei quatro anos recolhendo material para o livro num trabalho quase jornalístico. Mas o escrevi em seis meses efetivamente. Tsara eu levei um ano e meio escrevendo e publiquei este ano, am Abril. Em Agosto escrevi Blog3k-Trollados pela Vida adulta numa incrível maratona de um mês de escrita e já publicação. Escrevia quatro capítulos e enviava para a diagramadora que revisava novamente e diagramava e me mandava para nova revisão e eu enviava novos capítulos. Foi um trabalho de muita parceria e que deu muito certo. O trabalho está sendo muito elogiado.

Dedicam quanto tempo à escrita por dia?
R: Eu estou escrevendo até quando não estou diante do computador.Estou sempre imaginando histórias e prestando atenção a tudo em minha volta para aproveitar para um texto. Escrevo crônicas também, então sempre atenta.

Como surgem as ideias para escrever um livro?
R: Meu próximo livro, o tema veio de presente. Uma amiga viu um filme e, após ler meu livro Tsara, ela virou para mim e disse que “aquele tema era a minha cara”. E não é que me apaixonei pelo tema? Já estou em fase de pesquisa. Vou lançar ano que vem.

Gosta de trabalhar em silêncio absoluto ou prefere ouvir música enquanto trabalha?
R: Gosto de algum silêncio, mas não raro escrevo com televisão ligada e algumas vezes até uso alguma noticia como fonte de inspiração. Fora que como tenho crianças e cachorros...silêncio é artigo de luxo por aqui em casa srsrs.

Das obras que escreveu, tem alguma que seja a sua favorita?
R; Não. Cada obra eu escrevi num momento único de minha vida mas atualemte tenho um grande carinho por Blog 3K pelo fato de que eu o usei para colocar para fora algumas questões que estavam me incomodando.Não sinto receptividade em Blogs e mesmo entre meus colegas de escrita porque a maior parte da faixa etária que frequenta redes sociais são de adolescentes e...adultescentes. São adultos que se comportam como se adolescentes fossem.Não dá ibope hoje ser adulto , então os adultos fazem força para adentrar o universo de seus filhos (quando os têm) e se comportam de igual para igual. Além disso, eu fui convidada a deixar um blog porque minhas resenhas tinham um olhar de “gente velha”e o blog queria jovens resenhistas com menos de 20 anos para o quadro deles. Tenho 45 anos.

Se estivesse agora a começar a sua carreira como escritora, mudariam alguma coisa?
R: Sim. Eu teria começado mais cedo e teria iniciado meus estudos em literatura mais cedo também. Uma coisa que tenho percebido é a fata de representatividade em autores/leitores com mais de 25 anos. Em miha faixa etária então, são poucos . Hoje, em tempos de quedas de livrarias físicas, as livrarias online e plataformas dominam o mercado mas o predomínio de textos são de adolescentes e jovens adultos.

Compare a situação da literatura no Brasil relativamente aos outros países. Acha que teria mais ou menos sucesso se publicasse as mesmas obras mas noutros países?
R:Sem dúvida. O público daqui não valoriza o escritor. Penso em publicar em outros países se tiver como traduzir meus livros. A Amazon permite isso,de certa forma.

Qual dos seus livros teve um maior sucesso?
R: Em termos de downloads parece que foi Tsara, porque quando o coloquei gratuito foram quase 490 livros braixados. Porém, baixar livro não significa ler e não tenho como efetivamente controlar isso. Mas o livro esteve diversas vezes em primeiro lugar entre os mais baixados e mais vendidos.
Em livro físico tive dois grandes sucessos: Coisas de Lorena e Ponto de Ressonância.
Meus livros são muito diversos e em várias categorias,é dificil compará-los.





sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Barão - Joanna Shupe (Opinião)

SINOPSE
William Sloane, barão dos caminhos de ferro, conseguiu singrar a pulso na sociedade, desafiando todos aqueles que não o julgavam capaz de tal feito - a começar pelo próprio pai.
Mas tem uma insaciável sede de poder, precisa sempre de mais. Agora, parece sentir o chamamento da vida política, e nada o distrairá do seu objetivo. Nada, talvez, a não ser a encantadora trapaceira Ava Jones…

Desde sempre que Ava se aproveita da vulnerabilidade dos mais incautos para ganhar a vida e sustentar os irmãos. Apelidando-se de Madam(e) Zolikoff, convence o seu público de que consegue comunicar com o mundo dos espíritos. Mas Will Sloane parece estar prestes a destruir a sua reputação. Se ao menos ela conseguisse seduzir o deslumbrante milionário, ele guardaria o seu segredo, e, quem sabe, pudesse até tirar partido das habilidades dela para a sua campanha…


Mas conseguirá ela enfeitiçar o arrogante homem de negócios, ou será que ela própria já foi enfeitiçada?

A AUTORA
Joanna Shupe foi sempre fã de História, devorando avidamente romances históricos até ganhar coragem de pegar ela própria na pena.
Desde então, já venceu o prestigiado Golden Heart® Award da Romance Writers of America.
Magnata, o primeiro volume da série Knickerbocker Club, foi considerado um dos melhores livros de 2016 pela PublishersWeekly, o Washington Post e a Kobo.
A autora vive atualmente nos Estados Unidos com as filhas e o marido.





OPINIÃO
Quem já me conhece sabe da minha paixão por livros desde sempre e, desde sempre também fui atraída por uma bonita capa. Não sou nada adepta de capas minimalistas. Em primeiro lugar adorei a capa, mas depois de ler a sinopse, resolvi comprar o livro e desta vez não o coloquei na pilha por ler, devorei-o de imediato.
 ENCANTADOR E MUITO BEM ESCRITO. 
Apesar de o livro pertencer a uma série, lê-se perfeitamente de forma isolada. Foi a minha primeira leitura desta autora e fiquei bastante agradada. Uma história bem documentada no tempo histórico, enquadrada numa época conturbada nos USA e com um ingrediente sempre do agrado do publico feminino: o amor e a diferença social. No entanto o livro tem outro ingrediente, mais picante  - o erotismo -, e que neste livro é bastante explicito. Para quem gosta de livros eróticos que misturem, romance, história e até uma parte policial, este é perfeito.

Avaliado por mim em 5***** na Goodreads e na Wook. 

PS. Enquanto não existem novidades nos meus livros, divulgo o que vou lendo, mas, fiquem atentos, estou a finalizar o primeiro rascunho de A DOÇURA DA NOITE e, lá para o final do ano vai sair o livro. 

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Ao Fechar a Porta - Opinião

Há muito tempo que não lia um thriller tão bem concebido, com um tema que não é assim tão distante da realidade como julgamos.
Confesso que o meu "olho clínico" desconfiou logo da personagem masculina numa primeira apresentação, mas...há sempre um mas...afinal o homem parecia ser mesmo boa pessoa.
É um livro de dar pulos na cadeira - ou onde quer que o esteja a ler - e, a autora fundamentou-se muito bem para criar um psicopata daqueles que dão arrepios de medo. O tema da violência doméstica vem à baila numa forma que se encontra muitas vezes na prática clínica, se bem que, nem sempre assume contornos tão macabros. Os psicopatas do quotidiano existem, estão escondidos por aí, na mente de pais, filhos, maridos, amantes, etc, mas raramente chegam a matar alguém. Não desvendo mais para que possam usufruir desta leitura arrepiante e compulsiva. Confesso que li o livro em dois dias e que perdi algumas horas de sono para o terminar. Quem me conhece um pouco sabe que sou apaixonada pela mente humana e por um bom thriller.
Recomendo e avaliei em 5*****


A AUTORA


B. A. Paris, de ascendência franco-irlandesa, nasceu e cresceu em Inglaterra em 1958. Foi viver para França, onde trabalhou durante alguns anos num banco internacional até se formar como professora e fundar uma escola de línguas com o marido. Este é o seu primeiro romance, que teve um excelente acolhimento por parte da crítica literária e um retumbante sucesso mundial, com mais de um milhão de exemplares vendidos. A sua publicação está assegurada em mais de 35 países e tem direitos vendidos para o cinema. B. A. Paris vive em França com o marido e as cinco filhas de ambos.


Sinopse

Quem não conhece um casal como Jack e Grace? Ele é atraente e rico. Ela é encantadora e elegante. Ele é um hábil advogado que nunca perdeu um caso. Ela orienta de forma esmerada a casa onde vivem, e é muito dedicada à irmã com deficiência. Jack e Grace têm tudo para serem um casal feliz. Por mais que alguém resista, é impossível não se sentir atraído por eles. A paz e o conforto que a sua casa proporciona e os jantares requintados que oferecem encantam os amigos. Mas não é fácil estabelecer uma relação próxima com Grace... Ela e Jack são inseparáveis. Para uns, o amor entre eles é verdadeiro. Outros estranham Grace. Por que razão não atende o telefone e não sai à rua sozinha? Como pode ser tão magra, sendo tão talentosa na cozinha? Por que motivo as janelas dos quartos têm grades? Será aquele um casamento perfeito, ou tudo não passará de uma perfeita mentira?

domingo, 1 de outubro de 2017

Novidade - A Última Viúva de África



SINOPSE
Alice Oliveira, nascida e criada no Minho, num meio pobre e sem outros horizontes a não ser o casamento com algum camponês borrachão e a criação de uma enorme e desgraçada prole, ou o trabalho duro nas fábricas locais, cedo tomou as rédeas do seu destino.

Nos anos cinquenta do século passado terá emigrado para o continente africano, pertencendo ao reduzido número de portugueses que permaneceu na antiga colónia belga do Congo após a independência.

Conhecida nesses tempos por Madame X pelas autoridades portuguesas, para quem trabalhava como informadora, e por Kisimbi, a «mãe», pelos mercenários que combatiam em prol da secessão do Catanga, ela permanece uma figura misteriosa, que ganha contornos bem definidos neste romance, A Última Viúva de África, onde se recria o percurso de vida, os motivos, os encontros e desencontros e a rede de contactos que fizeram dela a amante frustrada do continente africano, a viúva branca de um paraíso perdido com a descolonização.

O AUTOR


Carlos Vale Ferraz, pseudónimo literário de Carlos de Matos Gomes, nasceu a 24 de julho de 1946, em Vila Nova da Barquinha. Foi oficial do Exército, tendo cumprido comissões em Angola, Moçambique e Guiné. O seu romance Nó Cego (1983) tornou-se de referência obrigatória na ficção portuguesa sobre a guerra colonial.
Algumas das suas obras foram adaptadas ao cinema e à televisão, e colaborou com Maria de Medeiros no argumento do filme Capitães de Abril.

É investigador de História Contemporânea de Portugal. Publicou, como Carlos de Matos Gomes e em coautoria com Aniceto Afonso, os livros Guerra Colonial, Os Anos da Guerra Colonial e Portugal e a Grande Guerra.

domingo, 24 de setembro de 2017

Jardines de La Luna



Disponible en breve en español na Amazon, Kobo, Barnes and Noble. 

Sinopsis de Jardines de la Luna

“Fines del siglo XVIII en Portugal, en la llanura alentejana. Isabel Rebelo, la segunda hija de un Señor de Mayorazgo, ingresa al convento por orden paterna para no tener que darle un dote. El derecho sucesorio a la herencia paterna incluye sólo al primogénito varón y a Isabel le queda solamente el convento. Cinco años más tarde, se niega a hacer los votos definitivos y la madre superiora le indica un lugar de maestra en una casa señorial, sin el consentimiento de su padre. Al llegar al solar se encuentra con un Conde aún joven que desborda una virilidad que la vuelve loca. Isabel comienza un juego de seducción y erotismo con Su Señoría, capaz de hacer enrubecer a la más depravada de las meretrices.
Pero ella tiene secretos que el Conde Manuel Alfonso de Barbosa desconoce y los problemas empiezan cuando el codicioso Señor de Mayorazgo, padre de Isabel, contrata a un gitano para encontrarla y extorsionar al Conde.
Cuando la pasión y la lujuria dan lugar al amor, sus vidas comienzan a unirse y el Conde tiene que tomar una decisión difícil para su vida. ¿Parte hacia Brasil con su sobrina para cuidar las haciendas y se arriesga a perder a Isabel para siempre o se queda y asume la pasión que lo consume, enfrentando los miedos que lo persiguen hace años?

domingo, 17 de setembro de 2017

Kindle Week - Promoção da AMAZON BRASIL


Caros leitores, de 18 a 24 de Setembro, a AMAZON BRASIL, vai promover alguns livros, entre os quais estão alguns dos meus. A promoção consiste numa baixa significativa do preço dos ebooks. Aproveite a promoção aqui. 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Promoção de Ebook - Florbela Espanca

Sinopse

Florbela Espanca é a história de uma mulher poeta que não gostava de ser chamada poetisa. É a história de uma dor sem nome, avassaladora e incompreendida. Florbela, ou Bela como lhe chamavam é uma menina nascida de uma relação extraconjugal, sendo criada pela mulher de seu pai que nunca a terá aceite. Filha bastarda, nunca foi legitimada legalmente pelo pai a não ser depois da sua morte. Do sentimento de rejeição nasce a quimera: o sonho de ser amada incondicionalmente e uma escrita transbordante dos afectos do seu interior, uma dor sem fim. Bela persegue o sonho de ser amada até à sua morte. Casa três vezes e por três vezes encontra a desilusão e, para agudizar o seu sofrimento, o irmão - único amor sincero que conhece - sofre um acidente de avião e morre. Não é reconhecida como poeta e afunda-se na agonia da neurose e da depressão. Exalta a morte na sua escrita a morre aos 36 anos sem encontrar o amor perdido na infância.
O livro está dividido em três partes. A primeira com uma biografia romanceada sobre os factos que se conhecem da vida da poetisa alentejana, uma segunda parte com um trabalho de psicanálise da origem da neurose de Florbela e uma terceira com uma galeria de imagens.


A autora do livro, apresenta uma biografia romanceada com base na investigação feita sobre a sua vida e obra em 2007.

domingo, 10 de setembro de 2017

NOVIDADE: Whitney, Meu Amor de Judith MacNaught


Quase a chegar aos escaparates das livrarias, uma nova obra da autora, traduzida para português. Já está em pré- venda com desconto. Veja aqui. 


SINOPSE

Whitney Stone é uma jovem de personalidade forte. Algo que o pai, um homem frio e calculista, não tolera. Decidido a acabar de uma vez por todas com a paixão que a filha nutre pelo vizinho Paul, envia-a para Paris. Sob os cuidados e carinho dos tios, a trapalhona e reguila Whitney transforma-se numa mulher lindíssima. A sua sensualidade e carisma conquistam a sociedade parisiense e captam a atenção do poderoso Duque de Claymore. Mas o coração de Whitney há muito que está tomado por Paul. Essa é, pelo menos, a convicção da jovem. Até ao dia em que dá por si a sentir-se tentada pelo duque - uma atração que a delicia e perturba, pois é a primeira vez que percebe que o seu coração tem uma vontade muito própria. Já o duque não tem qualquer dúvida. Ele deseja Whitney. E planeia tê-la, não obstante o crescente número de obstáculos, que incluem o "pormenor" de ela estar apaixonada por outro homem, a apreensão da tia e os planos do pai ganancioso, que, para se salvar da ruína, faz um acordo secreto. A moeda de troca? A sua filha…

Whitney, Meu Amor é obra que deu início à meteórica carreira de Judith McNaught. Os leitores vão rir, chorar, desesperar e emocionar-se com este romance absolutamente formidável.


FICHA DO LIVRO

Whitney, Meu Amor
de Judith McNaught
ISBN: 9789892339948
Edição ou reimpressão: 09-2017
Editor: Edições AsaIdioma: Português
Dimensões: 155 x 235 x 28 mm
 Encadernação: Capa mole 
Páginas: 640
Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Romance

domingo, 3 de setembro de 2017

Os fantásticos livros voadores de Mr. Morris Lessmore



Curta-Metragem vencedor do Oscar mostra o poder que os livros podem ter nas crianças


Uma história bem contada pode mudar a vida de uma criança. Ainda mais se for uma incrível história que mostra a importância que os livros podem ter. Alguns podem encantar e iluminar a vida das pessoas, principalmente das crianças, com sua imaginação. Este é o caso da animação The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore, um curta-metragem de animação ganhador de um Oscar e dirigido por  William Joyce e Brandon Oldenburg.