quarta-feira, 8 de abril de 2020

VERITY de Colleen Hoover ( OPINIÃO)



SINOPSE
Lowen Ashleigh é uma escritora que se debate com grandes dificuldades financeiras, até que aceita uma oferta de trabalho irrecusável: terminar os três últimos volumes da série de sucesso de Verity Crawford, uma autora de renome que ficou incapacitada depois de um terrível acidente.

Para poder entrar na cabeça de Verity e estudar as anotações e ideias reunidas ao longo de anos de trabalho, Lowen aceita o convite de Jeremy Crawford, marido da autora, e muda-se temporariamente para a casa deles. Mas o que ela não esperava encontrar no caótico escritório de Verity era a autobiografia inacabada da autora. Ao lê-la, percebe que esta não se destinava a ser partilhada com ninguém. São páginas e páginas de confissões arrepiantes, incluindo as memórias de Verity relativas ao dia da morte da filha.

Lowen decide ocultar de Jeremy a existência do manuscrito, sabendo que o seu conteúdo destroçaria aquele pai, já em tão grande sofrimento. Mas, à medida que os sentimentos de Lowen por Jeremy se intensificam, ela apercebe-se de que talvez seja melhor ele ler as palavras escritas por Verity. Afinal de contas, por mais dedicado que Jeremy seja à sua mulher doente, uma verdade tão horrenda faria com que fosse impossível ele continuar a amá-la.

A AUTORA


Colleen Hoover é uma autora norte-americana que já atingiu o 1.º lugar no top de vendas do New York Times e comoveu muitos leitores com os seus seis livros publicados, incluindo Um Caso Perdido (Hopeless).
Colleen cresceu numa quinta, no Texas, casou-se aos 20 anos e tirou uma licenciatura em Serviço Social. Trabalhou nos Serviços de Proteção a Crianças, antes de voltar aos estudos para concluir a sua formação em Educação Especial e Nutrição Infantil.
Vive com o marido e os três filhos à beira de um lago no Texas.

OPINIÃO

 Já li alguns livros da autora e nunca me desiludi. Verity será talvez o melhor de todos. Para não estragar a surpresa a quem pretende ler, não vou revelar nada da história, mas garanto que a leitura é compulsiva desde a primeira página. Quando Lowen conhece Jeremy de uma forma tão inusitada é quase imediato que se adivinha um romance a iniciar-se, mas - há sempre um mas- o que não estava à espera era de encontrar um thriller ( penso eu) tão bem montado e tão chocante. É um murro no estomago daqueles que no fim ainda fica a pensar:
- Como é que alguém pode ser tão perverso, psicopata e sem pingo de humanidade? 
É pessoal, mas a seguir quase mesmo no fim do livro, chega a surpresa final, e essa, ninguém espera. E mais uma vez ficamos na dúvida de onde está a verdade e a mentira. Só lendo! Força, estão à espera do quê? Em época de confinamento devido à pandemia de Covid - 19 nada melhor que ler. 



Sem comentários:

Publicar um comentário

A sua opinião é sempre bem vinda, desde que seja construtiva.