domingo, 3 de março de 2019

"A ILUSÃO DE MERIT de Colleen Hoover" - OPINIÃO


Dos três livros que já li da autora - todos excelentes histórias - , este foi o que deixou um impacto maior. Sinceramente comprei o livro assim que foi lançado por cá. Não gosto muito da capa e até a acho repulsiva, no entanto, depois de ler o livro, entendo a escolha. 
Quanto à escrita, mais uma vez fiquei maravilhada, apesar de livros escritos na primeira pessoa, não ser o meu género de leitura preferido, uma vez que a perspectiva é só uma e eu gosto de saber o que as outras personagens pensam.
Voltando à história, desta vez rendi-me mesmo ao tema. O livro conta a história de uma família, onde o ponto de vista de Merit se revela ora de uma maturidade muito acima da sua idade, ora muito própria de uma adolescente. E é com a a sua narrativa que vamos desvendando a história. 
 Merit e a sua família um tanto disfuncional  é protagonista de uma vivência peculiar, onde a doença mental, a confusão de gerações, a homossexualidade e a  rivalidade fraterna coexistem de forma mais ou menos pacifica até que um dia Merit resolve revelar os segredos de todos que ela carregava nas suas costas e aí a pretensa harmonia familiar desmorona-se como um castelo de cartas ao vento. 
Como psicoterapeuta e terapeuta familiar este livro caiu-me que nem uma luva do mais puro cetim. A paciente identificada da família, Merit, dá voz aos seus sofrimentos - os sofrimentos de todos segundo a teoria sistémica e psicanalítica - através de uma narrativa simples e adolescente, ao mesmo tempo que descobre o amor por Sagan. Esse amor, que ela julgava não ser para si, move-a a fazer coisas que nem sempre a favorecem. Toma decisões drásticas, mete os pés pelas mãos e sofre como qualquer ser humano. 
 Curiosamente, todos os personagens do livro, são muito interessantes. Ler este livro é uma aventura de sorrisos e de reflexão sobre a vida, onde ninguém é o que parece ser. Nem o cão. 
Outro dos aspectos deliciosos deste livro é a paisagem onde decorre. Os pormenores são fantásticos, quase nem nos lembraríamos que podiam existir e, a cerca branca da igreja - a morada da família, sim a família habita uma igreja - são o ponto alto do livro. Tudo nesta estranha morada de família é delicioso. 
Não vou revelar mais. Descubram se quiserem, e deliciem-se como eu o fiz. Aliás, este é um dos livros que dá ressaca. Ficam avisados(as)!
Sinopse
«Nem todos os erros merecem ser punidos. Por vezes, merecem apenas perdão.»

Merit Voss tem uma vida pouco normal. Vive numa igreja reconvertida com uma família disfuncional e pouco ortodoxa: a mãe, sobrevivente de cancro, ocupa um quarto na cave, o pai é agora casado com a antiga enfermeira da mãe, o meio-irmão mais novo não pode comer nem fazer nada que seja divertido e tanto o irmão mais velho como a sua irmã gémea, Honor, são a imagem absurda da perfeição. E Merit sente que nunca será assim.

Merit coleciona troféus que não ganhou e segredos de família que é obrigada a guardar. Numa visita a um antiquário em busca do próximo troféu, Merit conhece Sagan, que logo a deixa completamente desarmada e com um novo brilho nos olhos - até ela perceber que ele é inalcançável.

Cansada de se sentir invisível, e cada vez mais mergulhada no abismo, Merit decide acabar com a ilusão da família perfeita e revelar a verdade há tanto tempo escondida. Mas não estará Merit também a esconder a verdade sobre si mesma?

 A AUTORA

Colleen Hoover é uma autora norte-americana que já atingiu o 1.º lugar no top de vendas do New York Times e comoveu muitos leitores com os seus seis livros publicados, incluindo Um Caso Perdido (Hopeless).

Colleen cresceu numa quinta, no Texas, casou-se aos 20 anos e tirou uma licenciatura em Serviço Social. Trabalhou nos Serviços de Proteção a Crianças, antes de voltar aos estudos para concluir a sua formação em Educação Especial e Nutrição Infantil.
Vive com o marido e os três filhos à beira de um lago no Texas.

Sem comentários: