domingo, 4 de março de 2018

Como usar o Google na escrita do seu livro?




Como escritora, faço muita pesquisa para as minhas histórias. E às vezes, essa pesquisa requer conhecer bem o local onde se passa a cena do livro. Como viajo muito, tenho a sorte de ter muitos cenários guardados na minha mente, para além de fotos que posso consultar sempre que quiser. No entanto, nem sempre conheço os locais das cenas, ou preciso de recordar pormenores e, aí tenho que usar outros recursos.
Enquanto escrevia A PRINCESA DO PAI, alguns dos cenários eram em países que nunca visitei, nomeadamente os Estados Unidos e Inglaterra, mas, felizmente, o Google existe.


1. Encontrando os cenários do livro
Durante a maior parte do tempo pensei como descrever a cena, sobretudo a que se passava em Central Park, onde eu nunca estivera. Descobri rapidamente que o Google Maps era a ferramenta perfeita para esse problema, e quando não for suficiente existe o Google Earth.
Então, basta mudar seu mapa para a visão da Terra, e Voilá. Inspiração aérea infinita para você estudar, descrever e re-imaginar as suas cenas, ao ponto de conseguir visualizar pormenores das ruas, dos bosques, das praças, dos rios e das cidades.

2. Direcções
No Google Maps, pode encontrar instruções de como ir de um lugar para outro e (geralmente) escolher entre uma variedade de rotas. Isso é extremamente útil na escrita, especialmente graças ao fato de que você pode escolher qual o método de transporte que deseja usar. Poderia mapear o quão longe seus personagens vivem um do outro e obter uma estimativa sobre quanto tempo levaria a caminhar para as casas uns dos outros. Pode ver quantas horas leva para chegar de uma cidade para outra de avião, de comboio ou de barco se for o caso. Você pode ver o tempo que demora a viagem do Japão para LA por avião e usar esse tempo como ponto de partida para calcular quanto tempo levaria outro personagem para cometer um assassínio durante o tempo que demora o voo. As possibilidades são infinitas! E enquanto a distância exacta pode não ser necessária na própria história, poderá ser uma óptima informação para você, como o autor e pessoa e enriquecer a sua cultura.

3. Street View ( vista de rua)
Eu a vista da rua. Voltando ao que eu disse antes, não tinha ideia dos recantos de central Park. Então eu procurei a cidade de Nova Iorque no Google Maps, arrastei o ícone laranja para o ponto onde eu queria, e praticamente caminhava pelo mesmo caminho que a minha personagem Gabrielle. Observei os edifícios da quinta avenida e usei-os adequadamente, bem como nomes de outras ruas. A vista de rua é incrivelmente útil quando está escrevendo sobre lugares que nunca esteve antes - e é muito divertido de usar também!

4. Procurar nas proximidades
Este recurso é muito útil se estiver preso numa cena e não souber o que deve fazer o seu personagem a seguir. Quando escrevi sobre Gabrielle na Quinta Avenida, fiquei presa na cena, dentro do hotel. Então usei o Google Earth para ver que tipos de edifícios e atracões estavam nas proximidades. Basta pesquisar o local que está usando na sua história e depois clicar em "pesquisar nas proximidades" logo abaixo do painel de pesquisa. Você pode pesquisar restaurantes, lojas, parques e muito mais! Foi assim de descobri qual o caminho que Gabrielle seguiria quando escapou de Nova Iorque com destino às montanhas do sul.
Com uma hora ou duas explorando, o Google Maps e o Google Earth descobre uma ferramenta super útil para o mundo da escrita. A maioria dos autores (sobretudo os independentes), não ganha o suficiente para fazer viagens de reconhecimentos como Lesley Pearse fez quando percorreu o trilho do ouro no estado do Oregon, onde se passa o livro SEGUE O CORAÇÃO.

Força nesses dedos e vamos lá a escrever histórias que prendam os leitores!

Sem comentários: