segunda-feira, 10 de abril de 2017

UM REINO DE SONHO de Judith McNaught


Chegou aos escaparates das nossas livrarias um novo romance da autora, UM REINO DE SONHO Apesar de ser novo em Portugal, este livro foi escrito em 1989. Não é a primeira vez que faço um post sobre livros desta autora. A tradução é de Mário Dias Correia.  

Sinopse
Chamam-lhe o Lobo Negro. Nunca perde uma batalha. Temido por todos, Royce Westmoreland, duque de Claymore, é um guerreiro inglês intrépido. Tão intrépido que comete a loucura de manter sequestrada a filha do seu maior rival, o chefe do poderoso clã escocês Merrick.

Jenny Merrick pode ter sido raptada do colégio de freiras que frequentava, mas não vai ficar de braços cruzados. A bela e fogosa jovem tenciona lutar com unhas e dentes e destruir este inglês grosseiro que se julga dono de tudo - e o facto é que consegue enfurecê-lo melhor do que ninguém.

Quando, por decreto real, são obrigados a casar, espera-se o pior. A feroz batalha de vontades, porém, não tarda a dar lugar a uma paixão escaldante, mas muito breve… Agora, após uma devastadora traição e uma série de mal-entendidos, Jenny vai ter de decidir a quem deve a sua lealdade…

A AUTORA
Nascida a 10 de maio de 1944 em San Luis Obispo, formou-se em Economia/Negócios na Northwestern University.  Casou-se com um dentista de St. Louis e teve dois filhos, uma filha, Whitney, e um filho, Clayton. Algum tempo depois divorciou-se.

Antes de ter sucesso como escritora, McNaught trabalhou previamente como adjunta numa equipa de cinema, como controladora assistente de uma companhia de transportes, como presidente de uma agência de emprego temporário, e como executiva de uma empresa. Foi a primeira produtora executiva numa estação de rádio da CBS.

Conheceu o seu segundo marido, Michael "Mike" McNaught - do qual adoptou o apelido - enquanto trabalhava como assistente de direcção da equipe de filmagens, de um filme para a General Motors. McNaught era o director de relações públicas da empresa. Entre eles, tiveram sete filhos. Durante anos o marido incentivou-a a escrever mesmo quando os seus romances eram rejeitados pelas editoras, sendo o seu maior apoiante.  

O primeiro livro de McNaught foi “Whitney, My Love” escrito entre 1978 e 1982. Em 1983 conseguiu que uma editora aceitasse o manuscrito do livro e, em 20 de Junho desse ano recebeu a cópia do livro. Meses depois, já com um segundo livro publicado, o marido faleceu vítima de acidente.
O terceiro casamento, com Don Smith, um engenheiro, profissional de golfe, terminou em maio de 1993. McNaught descreveu a separação como pacífica e amigável, e fez uma festa para 160 amigos para comemorar a entrada numa nova fase da sua vida. A partir de 2007, começou a viver em Frisco, Texas. Judith McNaught é uma figura activa nas campanhas de solidariedade, quer com crianças desfavorecidas, quer com outras causas, tais como, cancro da mama e, recentemente começou a promover cursos de alfabetização. Depois de criar uma história secundária sobre alfabetização num dos seus romances, McNaught pediu aos seus editores que incluíssem um cartão de resposta na embalagem do livro. Devido à sua inclusão, milhares de mulheres que haviam lido o livro ofereceram-se para se tornarem tutoras e ajudar as pessoas a aprender a ler. A escritora conta actualmente 72 anos de idade.


Sem comentários: