segunda-feira, 17 de abril de 2017

O que eu aprendi ao publicar na amazon, como autora independente

Quando comecei a pesquisar na internet formas de publicar livros sem me submeter à apreciação de uma editora que, provavelmente, nem me iria responder, encontrei várias plataformas de auto-publicação e, de todas, a amazon foi a que mais me agradou. No entanto, nem tudo foi fácil, até adquirir experiência suficiente para trabalhar com a plataforma – e na posse de todos os segredos –, para começar a vender livros. Publico livros na amazon desde 2013 e durante mais de dois anos, estudei afincadamente tudo que encontrei disponível na Web. Parte do que sei sobre autopublicação, aprendi com outros autores independentes, que não tem receio de partilhar o seu saber, desde autores ingleses, como Nick Stephenson, que partilhou vídeos no seu site sobre alguns truques para começar a vender, até aos vídeos da própria KDP. Acreditem que durante meses não vendi um único livro porque não sabia da importância de pormenores que fazem toda a diferença, tais como as palavras-chave, como se encontram e como devem ser utilizadas. Para quem está a começar, há pormenores que são fundamentais.

1. Escreva o livro sempre num Documento  Word, porque fica com a tarefa simplificada para publicação do ebook, precisando apenas de rever o tipo de letra, o tamanho e de tirar os números de página. Nunca se esqueça de inserir quebra de página, para que os capítulos não fiquem desformatados. Muitas vezes os leitores criticam a formatação do ebook, porque fica confuso de ler. Para converter o seu documento Word num ebook  basta usar o mesmo documento, a plataforma da Kindle, converte automaticamente o seu documento.

2. Formate o livro correctamente
A plataforma da( https://kdp.amazon.com) fornece uma ferramenta online completa para verificar a qualidade do ebook. Basta experimentar e corrigir até o seu livro estar com qualidade de formatação. Ainda não tem uma conta? Vá para Amazon Kindle Direct Publishing, criar uma conta.

3. Compre uma imagem para a capa
Não use imagens da internet com direitos de autor. Para além de poder vir a ter problemas, as imagens precisam de ter no mínimo 1200px por 1900px, senão perdem qualidade se pretender fazer uma versão impressa do seu livro. Costumo usar a Shutterstock, um banco de imagens pagas, mas com preços acessíveis e livre de direitos, inclusive os comerciais. Já usei também imagens do Pixabay, no entanto, como são gratuitas, torna-se difícil encontrar o que pretendemos, mas é sempre uma opção a considerar se não quiser gastar dinheiro.  

4. Criar capa
Criar a capa pode ser algo muito lúdico e simples. Pessoalmente uso o Canva.com que dispõe de templates formatados para livros Kindle e que se adaptam muito bem à capa do livro impresso, caso queira fazer uma cópia impressa. Aconselho a ter uma versão impressa e outra em ebook. Há quem não goste de ler em formato digital. No (Canva.com ) pode adicionar texto à imagem, escolher cores e tipo de letra. Quer misturar figuras como por exemplo colocar um fundo por detrás de uma figura em destaque? Experimente o Photoshop online, tem as ferramentas básicas de corte e esbatimento e é fácil de usar porque oferece tutoriais completos de explicação.

5. Crie a descrição do seu livro.
Observe outros livros que são top de vendas, como referência. Você quer atrair as pessoas para comprar o livro? Então adicione uma descrição que suscite a curiosidade no leitor. Não conte parte da história. Pode sempre modificar a descrição na plataforma se verificar que não funciona.

7. Escolha as categorias
Não sabe como fazer? Em primeiro lugar veja no site da amazon em que categorias estão inseridos os livros semelhantes aos seus. Não insira uma categoria de romance histórico se o seu livro é de auto- ajuda. A plataforma oferece muitas categorias à sua escolha e, mesmo que não encontre uma que se adapte ao seu livro, pode sempre propor à amazon que adicione uma. Já houve autores que o conseguiram. Veja o exemplo de categorias na imagem abaixo. 

Carregue na imagem para aumentar o tamanho. 

8. Escolha o preço
Escolha um preço razoável, nem demasiado baixo, nem demasiado alto. Seja humilde e justo na escolha do preço. Claro que o seu trabalho vale tanto como o de autores consagrados, mas para um escritor iniciante convém ser menos ambicioso. Aos poucos você conquista o seu público e adquire a qualidade suficiente para pedir mais pelos seus livros. Eu comecei com preços altos e depressa tive que baixar o preço. Hoje os meus livros andam entre os dez e os dezoito euros, isto porque a plataforma também define um montante mínimo e máximo para si. Nos ebooks coloco sempre o preço entre 2, 99 euros e 5 euros. Não se esqueça de seleccionar outros países. A plataforma faz o preço de forma automática para as treze lojas virtuais. Por ultimo salve e publique o seu livro.

9 – Crie uma página de autor
Crie uma página de autor no Facebook, no site da amazon, no Pinterest, no Twitter, no Youtube. Quem não existe nas redes sociais como autor, “não existe”. Acredite que por mais resistente que seja à exposição mediática, ela é necessária para singrar como autor independente.

10 - Crie um blogue
Um blogue ou site para divulgação do seu trabalho é fundamental. Pode usar o Wordpress. Com ou o Blogger. No blogue pode publicitar os seus livros e liga-los por meio de links, directamente ao site da amazon. Desde que coloquei os livros no blogue – como amostra de leitura – as minhas vendas aumentaram de forma significativa.

11- Não acredite em mitos

Se lhe disserem que lá porque escreve em português não vai vender, acredite que isso não é verdade. Existem milhares de portugueses e brasileiros espalhados pelo mundo e a amazon abrange grande parte do globo, logo as suas hipóteses de vender são altas. Já vendi livros para o Japão e decerto que não foi comprado por um japonês.

12 – Comentários nos seus livros

Não ceda à tentação de pedir a todos os seus amigos que têm conta na amazon que façam um comentário ao seu livro. A amazon tem uma política muito rigorosa em relação aos comentários e muitos deles não chegam a ser publicados, apesar de muitas passarem. Eles têm forma de perceber se há ligação entre as pessoas. Os comentários que vendem livros são os verdadeiros, aqueles que dizem (Compra verificada), esses sim são genuínos e acredite que os leitores já não se deixam enganar. Torna-se ridículo ver um livro no top de vendas sem que tenha vendido mais de dois livros, só porque tem dezenas de comentários.
 Quanto mais comentários o seu livro tiver e mais vender, mais sobe no ranking, mas não use manobras pouco honestas para o fazer, pode sair em descrédito. 
Também existem dezenas – senão centenas – de sites que oferecem avaliações a troco de dinheiro. A amazon já processou umas quantas por avaliações fraudulentas. No entanto, não existe mal nenhum em pedir uma avaliação honesta a um avaliador TOP da amazon, isto se conseguir chegar até eles. Se ele(a) estiver na disposição de ler o seu livro e gostar, pode ser um bom empurrão na sua carreira.



 Até ao próximo post. Em caso de duvidas deixem comentário que terei todo o prazer em responder. 

2 comentários:

Marta Moura disse...

Belíssimas dicas para quem quer publicar!

Lidia Craveiro disse...

Espero que sirvam a alguém que queira publicar livros Marta Moura. Obrigado pela visita.