quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Os Absolvidos - André Afonso


André Teles Afonso nasceu em 1995. Atualmente está a terminar Agronomia em Beja, curso que detesta e para o qual não apresenta qualquer vocação. Os seus principais interesses são a prosa, a poesia e a música tradicional alentejana.
O Alentejo é seu berço e Serpa uma grande inspiração para a sua escrita.
É feliz assim, até ver ou até se esgotar a tinta da caneta e o café na chávena.

Esta é a descrição que o autor faz dele próprio. Conheço o André e sei que ele não detesta agronomia, apenas não a adora. André Teles é um jovem multifacetado que apesar de ter apenas 21 anos, já viveu o dobro em maturidade como fruto da vida que tem vivido, da interioridade da sua cidade que o levou a querer mais, e da influencia da mãe que é professora.
Apresentação do livro na contra capa.

O poema - nada de especial - estava escrito a tinta azul e marcou-me: cheirava a álcool e escorria de uma esferográfica banal. Tão simples, tão plástica, tão industrial. É engraçado como, às vezes, penso se os fabricantes destas canetas pensam no que elas podem fazer. 
Uma esferográfica é o poder! Nas mãos certas pode fazer maravilhas, nas mãos erradas pode matar, pode assinar tratados, leis, abaixo-assinar, promulgar misérias e dores.

Quando acabei de escrever essa singela poesia, no fundo quando acabei de escrever essa morte que teimo em passar para o papel, decidi então abrir um buraquinho no topo dessa colina e enterrar o manuscrito.

Os anos passaram, eu fui embora e nunca mais pensei na coisa... Certa vez voltei ao meu Alentejo e encontrei no cimo da colina, bem no lugar onde eu tinha enterrado o meu pequeno poema, uma árvore nascida.   

Excerto de "O Poeta e a Árvore" 


Opinião - Este livro editado pela Chiado Editora é um livro pequenino de contos - Contos velhos de um país velho - coligidos pelos autor e interpretados por ele e passados pela tradição oral, geração após geração. André foi mais além e eternizou estes sete contos em papel.
Os contos abordam a vida das gentes do interior alentejano, com as suas singularidades e, um dos contos "Os Peidos da Prima Berta" é hilariante, por isso não podia deixar de o referir. Parabéns ao autor pelo seu primeiro livro. Esperamos que venham mais.
 Deixo aqui, também, um video de um grupo musical que integra. Mais um testemunho da sua versatilidade.


Sem comentários: