sábado, 15 de outubro de 2016

9 ganchos mentais para prender a atenção do leitor



  Capítulo após capítulo, o livro tem que manter o leitor preso, e nada melhor para o fazer do que usar os 9 ganchos mentais mais poderosos que existem. 

 MEDO : O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo.
É também uma reacção obtida a partir do contacto com algum estímulo físico ou mental (interpretação, imaginação, crença) que gera uma resposta de alerta no organismo. Esta reacção inicial dispara uma resposta fisiológica no organismo que liberta hormonas do stress (adrenalina, cortisol) preparando o indivíduo para lutar ou fugir.
A resposta anterior ao medo é conhecida por ansiedade. Na ansiedade o indivíduo teme antecipadamente o encontro com a situação ou objecto que possa causar-lhe algum mal. Sendo assim, é possível se traçar uma escala de graus de medo, no qual, o máximo seria o pavor e, o mínimo, uma leve ansiedade. O medo provoca reacções físicas observáveis : suar, tremer, lividez…consulte o  artigo sobre EXPRESSÕES FACIAIS AQUI. 

 RAIVA:Pode expressar-se num comportamento passageiro ou prolongado, geralmente resultando em agressão. Outros nomes utilizados como sinónimo desse comportamento e sentimento/emoção são: fúria, ira, cólera, ódio, rancor etc., que se aplicam às distintas formas de expressão ou modulações desse sentimento. Enquanto manifestação do instinto de agressão, é extensível aos demais vertebrados.

 PRAZER -Prazer é uma sensação de bem-estar. Uma pessoa pode ter prazer sem demonstrar alegria e vice-versa. Mas, socialmente, as pessoas costumam demonstrar alegria ao sentir prazer. Em geral, o prazer é uma resposta do organismo ou da mente indicando que as nossas acções estão sendo benéficas à nossa saúde. O prazer pode ser atingido através de várias maneiras, tais como praticando exercícios físicos, comendo, tendo relações sexuais, escutando música, lendo, conversando, trabalhando, pintando, escrevendo etc.
A dor, que é, geralmente, tida como oposta ao prazer, pode servir como fonte de prazer para algumas pessoas, num fenómeno conhecido como masoquismo. Já o prazer obtido pela dor de outras pessoas é um fenómeno conhecido como sadismo.

NOJO - Nojo, ou asco é uma emoção geralmente percebida através da expressão facial e tipicamente associada com coisas que são percepcionadas como sujas, incomestíveis ou infecciosas. O nojo refere-se a algo revoltante. Primariamente em relação ao sentido do paladar, como realmente percebido ou vividamente imaginado; e secundariamente com relação a qualquer coisa que provoque sentimento similar, através dos sentidos do olfacto, tacto e mesmo pela simples visão. O nojo é uma das emoções básicas da teoria das emoções de Robert Plutchik. Envolve uma expressão facial característica, uma das seis expressões faciais de emoção de Paul Ekman. Está também associado a uma queda nos batimentos cardíacos, em contraste, por exemplo, com medo ou raiva.
O nojo pode ser dividido ainda em nojo físico, associado com impureza física ou moral, e nojo moral, um sentimento similar relacionado a tomadas de decisão.

FOME - Fome é o nome que se dá à sensação fisiológica pelo qual o corpo percebe que necessita de alimento para manter as suas actividades inerentes à vida. O termo é usado mais amplamente para se referir a casos de má-nutrição ou privação de comida entre as populações, normalmente devido a pobreza, conflitos políticos ou instabilidade, ou condições agrícolas adversas. Em casos crónicos, pode levar a um mal desenvolvimento e funcionamento do organismo. Uma pessoa com fome está faminta.
As consequências imediatas da fome são a perda de peso nos adultos e nas crianças, levando eventualmente à morte, e ao aparecimento de problemas no desenvolvimento das crianças, geralmente limitando as suas capacidades de aprendizagem e produtividade.

MOVIMENTO - Em física, movimento é a variação de posição espacial de um objecto ou ponto material em relação a um referencial no decorrer do tempo.
Na filosofia clássica, o movimento é um dos problemas mais tradicionais da cosmologia, desde os pré-socráticos, na medida em que envolve a questão da mudança na realidade. Assim, o mobilismo de Heráclito considera a realidade como sempre em fluxo. A escola eleática por sua vez, principalmente através dos paradoxos de Zenão, afirma ser o movimento ilusório, sendo a verdadeira realidade imutável.
Aristóteles define o movimento como passagem de potência a acto, distinguindo o movimento como deslocamento no espaço; como mudança ou alteração de uma natureza; como crescimento e diminuição; e como geração e corrupção (destruição).
No universo descrito pela física da relatividade, o movimento nada mais é do que a variação de posição de um corpo relativamente a um ponto chamado "referencial".


SEXO Relação sexual refere-se a uma ampla variedade de comportamentos entre indivíduos voltados para a obtenção de prazer erótico de pelo menos um dos membros envolvidos independente de haver penetração, orgasmo e fins reprodutivos. Para isso é feita a estimulação de uma ou mais zonas erógenas, como seios, vagina e pénis.

PERIGO - qualquer situação que inclua dano físico ou psicológico para a pessoa. 

  RITUAL - Um ritual é um conjunto de gestos, palavras e formalidades, geralmente imbuídos de um valor simbólico, cuja performance é, usualmente, prescrita e codificada por uma religião ou pelas tradições da comunidade. Os propósitos dos rituais são variados. Eles podem incluir a concordância com obrigações religiosas ou ideais, satisfação de necessidades espirituais ou emocionais dos praticantes, fortalecimento de laços sociais, demonstração de respeito ou submissão, estabelecendo afiliação, obtenção de aceitação social ou aprovação para certo evento - ou, às vezes, apenas o prazer do ritual em si.
Os rituais são característicos de quase todas as sociedades humanas conhecidas, passadas ou actuais. Eles podem incluir os vários ritos de adoração e sacramentos de religiões organizadas e cultos, mas também os ritos de passagem de certas sociedades, como coroações, posses presidenciais, casamentos e funerais, eventos desportivos e outros. Várias actividades que são ostensivamente executadas para concretizar propósitos, como a execução da pena de morte e simpósios científicos, são carregados com acções simbólicas prescritas por regulamentos ou tradição e, portanto, parcialmente ritualísticos. Várias acções comuns, como aperto de mão ou cumprimentos podem ser entendidas como pequenos rituais.

Espero que este post lhe sirva para usar nos seus livros. No próximo post iremos falar sobre OS DEZ MANDAMENTOS DO ESCRITOR. Siga-nos por email, na coluna da direita, em cima. 


3 comentários:

Ana Fernandes disse...

Olá Lidia! Obrigado pela visita no meu blog! Volta sempre que quiseres!
Eu acho que também vou voltar aqui ao cantinho porque tudo que envolve a escrita fascina-me! =)

www.anafernandes.ch

Marta Moura disse...

Muito interessante!

Marta Moura disse...

Belíssimo post!