terça-feira, 9 de agosto de 2016

Diário de viagem 1 - Egipto

  

Foto da autora ( palácio onde foi escrito Morte no Nilo) 

Aqui fica então uma das maiores emoções que, como escritora, estava à espera de ver. Digo ver, porque não existia outra forma possível. Este edifício, na imagem acima, não é mais que o palácio - agora um hotel - onde Agatha Christie escreveu MORTE NO NILO. 
Tive o privilégio de estar num cruzeiro no Nilo, de Luxor a Assuão, e passear no rio, junto ao hotel onde ela escreveu o famoso romance policial. O rio Nilo tem magia, garanto-vos e, ao passar em frente a este hotel, com as dunas de deserto do outro lado do rio, o povo Núbio nas suas falucas a pescar, as aves que vivem no rio a deambular em busca de insetos - já não há crocodilos por causa da barragem - é fácil perceber o que a inspirou. Por mim ficaria ali, meses, a escrever, nem que fosse apenas sobre os costumes culturais de um povo que vive à beira de um rio, única fonte de vida de um país de que organizou no percurso de água que corre de sul para norte.
Para além de ter visitado quatro mil anos de história antiga (Luxor, Karnac, Vale dos Reis, Edfu, Assuão, Cairo e Pirâmides, Cidadela de Saladino, Mesquita de Alabastro, Bairro Copta e a igreja onde a sagrada família se escondeu durante três anos…), conheci um pouco da cultura atual dos egípcios que, por incrível que pareça, ainda cultivam hábitos medievais, em conjunto com as mais modernas tecnologias.    
Esta foi uma viagem cultural e literária, pois o meu computador acompanhou-se e, todos os dias escrevi parágrafos do novo romance que deve sair dentro de dois meses. Parte dos capítulos de POR AMOR E POR AMBIÇÃO, foram escrito no Nilo, a bordo do barco Esadora II, nos dias tórridos do baixo Egito.  

 Por do sol no deserto do Saara na viagem para Luxor.

Templo de Karnac, Luxor



Luxor: método invulgar de transportar toda a familia

Assuão, de tarde, mais de cinquenta graus à sombra. Ao fundo, do outro lado do rio, túmulos dos nobre egípcios de há três mil anos.


O moderno e o antigo a conviverem. Ao fundo, entre dois prédios semi construidos, a pirâmide de Gisa.  

Sem comentários: