quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Lançamento de APAIXONOU-SE PELA PESSOA ERRADA?



ELE  É UM SEDUTOR IRRESISTIVEL

 (excerto do Capítulo 6)

Quem não ouviu já falar no mítico Don Juan, aquele jovem conquistador que vagueava pelas ruas em busca de mulheres para as seduzir e depois da sedução estar completa, abandonava-as?
Segundo Freud, esta atitude deve-se à necessidade de estímulos novos, que iriam iludir uma possível impotência. Não sabemos se isso é realmente verdade, mas todos já identificamos homens parecidos por aí. São os sedutores natos, aqueles que arrazam corações e se mantêm indiferentes ao que despertam nas mulheres.
Há quem diga que D. Juan é alguém que está sempre em busca da própria mãe, sem nunca a encontrar. Ou a encontra noutra mulher, mas esta deixa de representar a figura de mãe no momento em que se consuma o acto sexual e passa à conquista seguinte.
O meu ponto de vista sobre o mito do Don Juanismo baseia-se nesta última citação, Don Juan um jovem a quem o carinho e afecto materno tinham sido negados, ou por rejeição da mesma ou simplesmente por falta de tempo para esse mesmo apoio emocional, cresce com uma carência afectiva descomunal e com um ego reivindicador, só tem direitos, só recebe amor, não dá. Don Juan busca assim vingar-se em todas as mulheres do que a sua mãe lhe fizera, dando-lhes o carinho, amor e afecto que nunca teve e quando consegue o objectivo de que estas caiam de amor por ele, abandona-as.
Muitas das vezes usa-as em seu belo prazer para a sua satisfação sexual, contudo sem deixar que a mulher obtenha prazer emocional nesse acto. Não se entrega.
Há quem diga ainda que o compromisso de Don Juan, não era com o amor das mulheres, mas com o amor em si, e que a técnica da sedução de facto era excitante para ele de modo a suplantar a sua impotência. Caso, seja mesmo impotente, seria vergonhoso para um homem tão sedutor e conquistador, esse segredo ser descoberto por uma mulher.
Mas, apesar das suposições numa tentativa de explicar o mito do Don Juanismo, este jovem tem um factor inato, uma sina igual à de qualquer homem, o de encontrar uma mulher que o "tire do sério", que por mais que ele utilize as suas técnicas será difícil ela cair, uma mulher companheira que oiça as suas histórias e não o condene pelos seus actos sedutores, é a mulher ideal para Don Juan, aquela que lhe dará o suporte em que "no matter what" ela vai lá estar para o apoiar no bem e no mal. E, essa mulher pela substituição da figura materna conquista o coração deste jovem com uma obsessão pela sedução. Mas, uma relação desse género será sempre um martírio para uma mulher que resolva intentar nessa tarefa quase impossível.
O Don Juan descrito no presente tem um fundamento importante, não falo só de Don Juan, O Burlador de Sevilha, mas de tantos outros que vagueiam pelas ruas à procura de mulheres. O padrão eleito são geralmente, mulheres com baixa auto estima, uma má auto imagem de si, carentes de afecto. Elas são presas fáceis, em que as técnicas de sedução passam por elogios de beleza e técnicas de cavalheirismo.
As vítimas que sempre se sentiram mal-amadas, rejeitadas e depreciativas em relação a si próprias acabam por cair na armadilha com todo um esquema montado, através de um plano bem estudado e infalível.
Quanto maior a imagem depreciativa da mulher em relação a si mesma e a sua carência de afecto, maior é o seu envolvimento, que acaba por se tornar uma dependência face ao Don Juan que se pode chamar Bruno, António, Luís ou Valdiceu, os don juans escondem-se atrás de figuras publicas, homens de gravata bem vestidos, políticos, médicos, empresários etc. (...)

TAMBÉM EXISTE EM VERSÃO IMPRESSA. VEJA AQUI. 

Sem comentários: