quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Conselhos aos autores independentes

As publicações de autores independentes são a maior fatia de vendas das principais plataformas de auto-publicação ( Amazon, Barnes&Noble) que vieram possibilitar a centenas de autores que viram recusados os seus trabalhos pelas editoras tradicionais, realizar o seu sonho. Mas, nem tudo são facilidades e, só quem apresenta qualidade consegue singrar no meio. 
  • Em primeiro lugar tem que apresentar uma história e um texto bem escrito, nada pior para um autor que apresentar erros, por isso, reveja dez, vinte vezes o seu têxto, ou arranje um revisor ( é um serviço caro), ou, peça a alguém de confiança que lhe reveja o livro. 


  • Em segundo lugar, tenha noção que os olhos são os primeiros a "comer" o livro e, se a capa não for atrativa, o leitor não lhe vai pegar. Se domina os programas Ilustrator, Photoshop, poderá efectuar uma boa capa. A plataforma da Creaespace contém todas as explicações  em inglês de como efectuar a capa por sua conta. Ou contrate um bom designer de capas, que lhe crie um tipo de capa pela qual o leitor passe a identificar os seus livros. Todos os autores têm um tipo de capa. 


  • Em terceiro lugar crie uma página de Facebook, Twiter, Pinterest...onde possa anúnciar os seus livros e interagir com os seus leitores. Não venda os livros, anúncie, aos poucos, conquista leitores que vão trazendo outros. 


  • Faça amizades com outros autores independentes com quem possa partilhar esta dura tarefa de ser escritor independente. Os colegas escritores independentes, não são seus concorrentes, são aliados. Foi com a generosidade da escritora brasileira Cristina Pereyra que eu aprendi sobre a autopublicação. 


  • Se escreve em português não tenha ilusões sobre o número de livros vendidos. A amazon só existe em português do Brasil e a percentagem de livros vendidos é muito baixa. A percentagem alta de vendas de autores independentes acontece na amazon americana e inglesa. 


  • Quer vender livros como autor independente? Traduza para outras linguas, sobretudo para inglês. É caro? É sim, mas existem outras possibilidades. Procure nas plataformas online de freelancers. Há profissionais a fazerem a tradução por preços bem acessiveis, mas...há sempre um mas...no final a revisão tem que ser feita por um nativo da lingua, senão arrisca-se a que as expressões idiomáticas sejam autenticas anedotas e, isso será mau para o escritor. 


  • Um escritor independente, vive de vendas e de criticas. Prepare-se para ter criticas negativas. Todos têm. É a garantia que as suas criticas são genuinas. 


  • E, por último, se é autor independente e conseguiu sucesso com um livro, saiba que tem que continuar a escrever para replicar o fenómeno. Ainda não é um fenómeno ( agora estou a brincar), continue a escrever de igual forma. Só publicando pode ver o seu trabalho reconhecido. Há autores independentes que vivem da escrita, em quase todos os países. 

Sem comentários: